Informações gerais sobre alergias. Este site não tem o objetivo de prestar consultas pela internet. Para tirar dúvidas, procure também www.asbairj.org.br e www.blogdaalergia.com

Arquivo para junho, 2008

ALERGIA DE CONTATO (DERMATITE DE CONTATO)

 
Muitas pessoas sofrem com lesões avermelhadas e muita coceira, e que evoluem na fase inicial com pequenas vesículas que se rompem, e na fase mais crônica com descamação e "engrossamento" da pele. Quando as lesões ocorrem sempre nas mesmas localizações, isso pode ser a dermatite ou eczema de contato. Esta é uma forma de alergia causada por subtâncias que entram repetidamente em contato com a pele, e acabam penetrando nela e desencadeando uma reação inflamatória alérgica que evolui caracteristicamente em dias a semanas, podendo se cronificar enquanto a substância causadora (contactante) estiver presente.
 
Importante ressaltar que na maioria das vezes, mas nem sempre, a localização das lesões é óbvia e já faz suspeitar qual é o agente contactante causal. Desta forma, lesões recorrentes no punho geralmente são causadas por metais, borrachas ou couros de pulseiras de relógio ou de enfeites pessoais. Da mesma forma, a alergia a metais geralmente se manifestará também em outras áreas de contato com bijuterias (orelhas, pescoço) e com botões de metal de calças (região abaixo do umbigo). As lesões dos dedos e palmas das mãos podem ter relação com detergentes usados para lavar louças, ou outros produtos ocupacionais, como o cimento. Lesões dos pés, com o formato de calçados ou sandálias podem estar relacionadas ao couro ou a borracha desses utensílios, lesões em pescoço e punhos podem ter relação com perfumes, alergia de contato nas axilas geralmente é causada por componentes da fórmula de desodorantes, e lesões em áreas expostas ao sol podem ter relação com cremes, protetores solares e outros cosméticos, muitas vezes só "ativados" a tornaram-se causadores de alergia pela ação da luz solar.
 
Por outro lado, as lesões nas pálpebras, pescoço e "maças do rosto" podem ter relação com o esmalte de unha, pelo hábito de passarmos frequentemente as mãos nessas regiões. Alergias a tintas de tecidos de roupas podem ocorrer em áreas esparsas de todo o corpo, e eventualmente, até substâncias ingeridas como aditivos em alimentos e medicamentos podem induzir lesões na pele deste mesmo tipo, mesmo sem o contato direto.
 
Quando o quadro é típico, o diagnóstico do agente causal geralmente é fácil para o médico experiente nesta área. Mas nas outras situações, o diagnóstico pode ser mais complicado. Por isso, deve-se recorrer ao especialista em alergia-imunologia, que poderá, pela história clínica, correlacionar a localização e o tipo de lesão com possíveis agentes causais, além de realizar o chamado "teste de contato", no qual diversas substâncias são colocadas no dorso por alguns dias, e depois é feita a avaliação do local, para se identificar a(s) substância(s) envolvida(s) no desencadeamento da alergia. Esse teste é importante mesmo quando o quadro clínico aponta com facilidade o agente causal, pois com ele é possível identificar o produto químico específico envolvido no quadro. Com isso, é possível procurar substitutos (esmaltes e cosméticos, p.ex.) sem a substância específica que causou o problema.
 
 
      Tatuagem            Desodorante              Brinco                        
 
 
            Boné                             Fivela do cinto
 
                  Cimento                           Sandália de borracha


                                         Teste de contato

Nuvem de tags